O Príncipe – Maquiavel

o-principe-maquiavelO livro “O Príncipe” foi escrito por Nicolau Maquiavel em 1513, mas só foi publicado em 1532. Como Nicolau morreu em 1527, a primeira edição do livro já é considerada uma publicação póstuma.

A repercussão de O Príncipe de Maquiavel através dos séculos ocorreu devido ao papel fundamental que a obra representa na construção do conceito de Estado. O Príncipe é um tratado político que serviu como base para modelar a estrutura governamental dos tempos modernos. Esse tratado possui 26 capítulos, além de uma dedicatória a Lourenço de Médici, e foi escrito a partir de reflexões sobre o passado político, reunindo conselhos e sugestões com o objetivo de conquistar a confiança de Médici.

Nessa época, a Itália estava dividida em pequenos Estados, repúblicas e reinos. Havia muita disputa de poder entre esses territórios. Maquiavel orienta os governantes a respeito dos perigos que existem em se dividir politicamente uma península e ficar exposto às grandes potências europeias.

Capítulos de “O Príncipe”

Os 26 capítulos do livro possuem os seguintes títulos:

      • De quantas espécies são os principados e de que maneiras são adquiridos.
      • Os principados hereditários.
      • Os principados mistos.
      • A razão pela qual o reino de Dario III não se rebelou contra seus sucessores após a morte de Alexandre.
      • De que modo devem-se governar as cidades ou os principados que, antes da conquista, possuíam suas próprias leis.
      • Os principados conquistados com as próprias armas e qualidades pessoais.
      • Os principados novos conquistados com as armas e virtudes de outros.
      • Os que conquistaram o principado por meio de crimes.
      • O principado civil.
      • Como medir as forças de todos os principados.
      • Os principados eclesiásticos.
      • Os tipos de milícias e os soldados mercenários.
      • Os exércitos auxiliares, mistos e próprios.
      • Os deveres do príncipe com suas tropas.
      • As qualidades pelas quais os homens, especialmente os príncipes, são louvados ou vituperados.
      • A liberalidade e a parcimônia.
      • A crueldade e a clemência: se é melhor ser amado do que temido, ou antes, temido do que amado.
      • De que modo os príncipes devem manter a fé da palavra dada.
      • Como evitar o desprezo e o ódio.
      • Se as fortalezas e muitas outras coisas cotidianas usadas pelos príncipes são úteis ou não.
      • Como um príncipe deve agir para ser estimado.
      • Os secretários que acompanham o príncipe.
      • Como evitar os aduladores.
      • Por que os príncipes da Itália perderam seus Estados.
      • Quanto pode a fortuna influenciar as coisas humanas e como se pode resistir a ela.
      • Exortação para procurar tomar a Itália e libertá-la das mãos dos bárbaros.

Os principais tipos de poder (monarquia e república) são descritos nos capítulos 1 – 14. Depois, Maquiavel mostra como um príncipe deve proceder diante de seus súditos, como cuidar de suas finanças, que é melhor ser temido do que amado, além de ser preciso evitar ser odiado e manter o povo feliz (capítulos 15 – 23). No capítulo 24, Maquiavel se utiliza do conceito de perda que os príncipes italianos tiveram em seus estados para evitar tal perda em um governo.   O Príncipe termina com uma explicação de Nicolau Maquiavel sobre como tomar a Itália.