Biografia de Maquiavel

A biografia de Maquiavel será organizada nesse tópico reunindo os principais feitos e ocupações que resumem a história de Nicolau.

Desde pequeno, Maquiavel se dedicou aos estudos. Aos sete anos de idade, começou a aprender matemática e latim. Logo depois, estudou a língua grega antiga.

Em 1494, aos 24 anos, Nicolau Maquiavel foi secretário da República de Florença (cidade onde nasceu) e copista do professor de literatura Marcelo Virgílio Adriani. Com 29 anos, foi estabelecido como chanceler na Segunda Chancelaria e depois nomeado secretário dos Dez Magistrados da liberdade e da paz. Nicolau permaneceu nesse cargo por mais de quatorze anos. Durante esse período, cuidou de vinte e três missões no exterior.

A biografia de Maquiavel tem um acontecimento importante em 1501: seu casamento com Marietta di Luigi Corsim. Essa relação matrimonial concede seis filhos a Nicolau. Porém, Nicolau parece ter dedicado pouca atenção a sua família (foi amante, por muitos anos, da cantora Barbara Salutari).

Maquiavel recebeu, em 1502, a função de representar o governo de Florença para tratar com o Duque Valentino a respeito das ações para mudar o curso dos acontecimentos políticos. Essa função foi concedida por César Bórgia, filho de Rodrigo Bórgia, que viria a se tornar Papa (Alexandre VI) e Capitão Geral da Igreja Católica em Roma. O contato com o Duque Valentino foi importante para o desenvolvimento das ideias de Nicolau de seu destino como escritor político.

Em 1505, Nicolau Maquiavel estabeleceu o projeto da milícia nacional para substituir as tropas mercenárias. Após seu trabalho para o governo, Maquiavel perdeu o cargo (com o fimda república em 1512). No ano seguinte, foi preso e torturado por conspirar para a eliminação do cardeal Giovanni de Médici.

Origem das obras que marcam a biografia de Maquiavel

Após esse período, foi exilado aos arredores de Florença e começou a se dedicar à produção de suas maiores obras, como: “O Príncipe”, “Discursos sobre a Primeira Década de Tito Lívio“, “A Arte da Guerra” e “As Comédias”. Nicolau acabou sendo beneficiado depois com a anistia concedida pelo papa Leão X.

Depois de retornar à Florença, Nicolau conseguiu a função de escrever a história da cidade (sendo remunerado por isso), graças ao Cardeal Gíulio de Médici. Depois, foi inspetor das fortificações. Seu último cargo foi uma missão contra Carlos V.

A biografia de Maquiavel termina com sua morte e sepultamento em Florença em 1527 após retornar adoecido de uma viagem a Cività Vecchia. Nicolau morreu na pobreza e afastado do poder.